E o Sind-Ute vai ao encontro dos candidatos de MG: Para quê?


O Sind-Ute convocou a categoria para um encontro com os candidatos ao governo de MG , amanhã(04/09) na capital. Do norte de Minas sairá uma caravana, inclusive vai nela meu amigo Javé, professor de filosofia e o professor Murilo, um combativo companheiro que conheci na famigerada greve deste ano.

Bem, a blogueira ficou a pensar nesta atitude do sindicato de perfil doméstico do estado de MG e ficou a estranhar esta convocação. Para quê? Provavelmente se Anastasia for, até ele vai convencer o povo que Minas ainda é possível, que o subsídio foi um grande avanço e que aqui é o País de Alice : o País das Maravilhas. Que tá tudo muito bem e que vai ficar melhor ainda.

Bem, com os outros candidatos não será muito diferente, todos colocarão a educação como prioridade e a primeira meta dos seus governos será corrigir as distorções causadas pelo atual governo. Afinal, eles não são nada bobos e o encontro pelo que me consta será somente com educadores .

Questionamentos: Será que a doce Beatriz (Alice) levará um documento compromisso para eles assinarem?
Também já tenho a resposta, todos assinarão, até Anastasia. Eu se fosse ele assinava, afinal ele já fez isto, propôs um acordo com a categoria , acenou um acordo e na última hora deixou Alice e todos nós assistindo seu pronunciamento na ante sala da história, e ainda assim, graças a imprensa ( mais especificamente, Benner, da TV Alterosa) que ligou para ela, avisando da rasteira, da jogada ou seja lá o que for.

Enquanto isso Anastasia sobe nas pesquisas e pouco a pouco vai ganhando a confiança dos mineiros e a turma da diretoria na sede e nas regionais vai tentando explicar o subsídio que nem a Secretaria de Educação entendeu ainda, porque está no vazio, no vácuo das possibilidades : do reposicionamento, da Lei de responsabilidade fiscal, enfim, de outras tantas possibilidades que ninguém compreendeu até agora.

Vou ficando por aqui com a fala sempre prudente e pontual de Wladmir Coelho, colunista do Blog do Coreu:

Vou colocar minha opinião a respeito do subsídio. 1- Durante a assembléia na qual foi comunicado esta intenção do governo considerei apressada a aceitação por parte do sindicato considerando somente a comparação com outros estados que teriam adotado esta fórmula. Posteriormente, fui a Constituição e mostrei através de artigo publicado no COREU a fria na qual entrávamos.O subsídio foi criado para acabar com os tais MARAJÁS. No caso de salários baixos como os nossos trata-se de prejuízo sim, pois ao subsídio fica proibido o acréscimo de beneficios, está claro lá na Constituição. Considero um erro deixar a luta do piso em troca de resultados imediatos ou imediatistas. Vamos - ter prejuizos em função da retirada dos beneficios e com a clara possibilidade de congelamento dos vencimentos, claramente, cristalinamente prevista na lei.

Em breve, escreverei sobre os momentos mais engraçados desta greve e que foram postados nas redes de relacionamentos pelos educadores. AGUARDEM! Hilariantes!!!

Marcadores:

2 comentários:

  1. Profª Marly Gribel, paz e parabéns pelo teu blog. Digo que realmente o governo de minas precisa valorizar mais todos os educadores do Estado. Gostei deste post...

    Já te sigo e peço que me ajude e divulgar meu blog.
    http://wwwteologiavivaeeficaz.blogspot.com/

    Profº Netto, F. A.

  1. Marly Gribel disse...:

    Caro professor, Também gostei muito do seu blog, já li alguns textos e quando tiver lido com a atenção vários deles escreverei no meu comentando, se vc me permitir. Um abraço fraterno!

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Professora de história, pós - graduada em história geral pela UFMG e em Novas Tecnologias na educação pela UNIMONTES.

Seguidores

Pesquisa

14:09 29/07/20103